Artesanato criativo e sustentável das Redeiras no projeto (RE)MAR: Mês da Moda Artesanal

Estão sendo iniciadas as atividades do projeto (RE)MAR – Redeiras Mês da Moda Artesanal, que vai criar um vídeo desfile da produção de peças de biojoias, bolsas e adereços do grupo artesãs das Redeiras, associação sediada na Colônia de Pescadores Z3, em Pelotas.

O projeto cultural consiste em um desfile para apresentação de coleções de artesanatos reciclados criados pelas Redeiras (Associação das Artesãs do Extremo Sul), com produção, filmagem e edição de um audiovisual documental e três videoclipes, para divulgação e promoção do trabalho das artesãs.

A proposta prevê ainda a execução de ações formativas, com a realização de quatro oficinas gratuitas, abordando temas relacionados ao artesanato, à produção de moda, design e atividades artísticas sobre a indústria criativa e a economia da cultura. O evento e as oficinas acontecem na praia da colônia de pescadores onde as artesãs vivem e realizam suas atividades, a Z3, segundo distrito do município de Pelotas (RS).

Grupo de artesãs Redeiras na beira da Lagoa dos Patos (imagens: site Redeiras)

As Redeiras fabricam peças artesanais com redes de pesca usadas e couro de peixe que são descartados, na maioria das vezes, mas que – pelo trabalho das artesãs – são ecologicamente tratados e reutilizados e se transformam em bolsas, xales, colares, pulseiras e biojóias. O artesanato da associação também aproveita escamas de peixes e faz aplicação de aço e prata para a construção de suas obras.

Modelo posando com o trabalho em biojoias – brincos e colar

Envolvido e preocupado com a conservação ambiental do entorno da Lagoa dos Patos e no desenvolvimento de ações socioculturais que possam gerar sustentabilidade, renda e conhecimento, o projeto (RE)MAR REDEIRAS MÊS DA MODA ARTESANAL também envolve a população da Colônia ao propiciar atividades relacionadas ao desfile, como a realização de figurinos, a modelagem, a estrutura de palco e a assistência de montagem.  

A Colônia São Pedro (Z3), mais conhecida como Colônia de Pescadores Z3, está incrustada no segundo distrito de Pelotas, no Rio Grande do Sul, e banhada pela Laguna dos Patos, a localidade integra a região da Costa Doce. Entre as ruas de chão batido, as casas coloridas, caprichosamente construídas, revelam o encanto de um lugar que preserva a rusticidade.

A Colônia Z3

A localidade foi fundada em 29 de junho de 1921, época em que 40 famílias viviam exclusivamente da pesca artesanal. Hoje, são cerca de 1,5 mil famílias que buscam nas águas da maior laguna do mundo em extensão, o sustento através da pesca. Sob a proteção de Nossa Senhora dos Navegantes, desbravam os melindres de cada estação, em busca de seu sustento.

Foi nesse lugar cheio de riquezas que a inspiração para a arte das Redeiras surgiu. Dele também é a fonte da matéria prima para as peças do artesanato. O conceito da associação é transformar lixo em arte, reciclando escamas de peixe, redes de pesca e couro de peixe.

Juntamente com a Associação, a Imagina Conteúdo Criativo é responsável pela concepção do projeto e pelo gerenciamento das atividades que, em outubro de 2022, entram na fase de escolha e organização das coleções que serão apresentadas.

(RE)MAR Redeiras Mês da Moda Artesanal: desfile de moda sustentável e ações formativas na Colônia de Pescadores Z3 tem o financiamento do FAC Expressões Culturais, do sistema ProCultura da Secretaria de Cultura do RS.

Saiba mais sobre o projeto no perfil @remarredeiras do Instagram. E sobre as Redeiras no site do grupo, neste link.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.